IPGII

Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Post Type Selectors

Natal: A Grande Demonstração de Amor

Sabemos que há distorção sobre o verdadeiro Natal. Reconhecemos ainda que há muitos equívocos na sociedade moderna quando o assunto é o Natal. Compreendemos que Natal não é comércio, nem papai Noel, nem bebedeira, nem farra ou coisa parecida.

Todavia, inegavelmente, há também vestígios do verdadeiro Natal na sociedade contemporânea. Sim, você não entendeu errado, percebemos que há muitas evidências ainda do espírito natalino na sociedade atual. Há demonstração de amor, de generosidade, de bondade e de graça.

Porém, todas as demonstrações de amor apontam para o amor maior, apontam para o grande amor de Deus. O grande amor de Deus demonstrado em Jesus pelos pecadores. O evangelista João registra assim: “Porque Deus amou ao mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo o que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna” (Jo 3. 16). Aleluia!

Em João 3. 16, encontramos o âmago, o cerne do grande amor de Deus. Hoje, queremos destacar algumas verdades que mostram o porquê o Natal é a grande demonstração do amor. Diante disso, perguntamos: por que podemos afirmar que o Natal é a grande demonstração de amor?

Em primeiro lugar, quem amou (Jo 3. 16). “Deus amou”. Mas quem é Deus? O que sabemos sobre sua pessoa? Como conhecer sua identidade? O Deus que amou é o Criador de todas as coisas. Ele é o mantenedor e sustentador de toda sua criação. É o Deus descrito na Bíblia que amou. Por isso, podemos dizer que o seu amor é incomparável.

Sendo assim, por conta de quem procede o amor, sem dúvida alguma, o Natal é a grande demonstração de amor. Deus nos ama com amor eterno. Ama tanto que deu seu único Filho para morrer em nosso lugar. Eis o verdadeiro espírito do Natal: Deus amou!

Em segundo lugar, o que amou (Jo 3. 16). “Deus amou ao mundo”. O grande amor de Deus é incomparável. Além disso, o grande amor de Deus é imerecido. Ninguém merece esse amor. Deus nos amou de modo incondicional. Ele não foi coagido a nos amar. Ele livremente decidiu nos amar.

A Bíblia ensina que o grande amor de Deus é imerecido porque é destinado aos seus inimigos. Deus amou indivíduos pecadores. Ele amou pessoas que não tinham nenhum prazer em sua lei. Deus amou pecadores indignos dos quais nós fazemos parte da grande massa caída.

Deus amou os seus inimigos. Deus provou “[…] seu próprio amor para conosco pelo fato de ter Cristo morrido por nós, sendo nós ainda pecadores” (Rm 5. 8). Aqueles a quem Deus amou não merecem seu amor Redentor, pois eles tinham pressa em praticar o mal. Não havia temor de Deus diante dos seus olhos (Rm 3. 9-19). Por isso, podemos dizer que o Natal é a grande demonstração do amor de Deus.

Em terceiro lugar, como amou (Jo 3. 16). “Deus amou […] de tal maneira que deu o seu Filho unigênito”. A Escritura é clara em dizer que Deus não poupou o seu Filho, antes o entregou por amor (Rm 8. 32). A Escritura profética afirma essa verdade nos seguintes termos: “Todos nós andávamos desgarradas como ovelhas; cada um se desviava pelo caminho, mas o SENHOR fez cair sobre ele a iniquidade de nós todos” (Is 53. 6). Deus lançou a nossa iniquidade sobre o seu Filho em quem somos amados.

O Filho de Deus, “Ele foi humilhado e oprimido […]” (Is 53. 7) por causa do nosso pecado. “Certamente, ele tomou sobre si as nossas enfermidades e as nossas dores levou sobre si; e nós o reputávamos por aflito, ferido de Deus e oprimido. Mas ele foi traspassado pelas nossas transgressões e moído pelas nossas iniquidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados” (Is 53. 4, 5).

A demonstração de como Deus nos amou é vista por meio do seu Filho pregado na cruz. A cruz é o instrumento no qual Deus escancarou o seu amor pelos pecadores. O modo como Deus amou tem relação com a entrega do seu Filho.

Entenda bem, para que o seu amor fosse materializado o Filho de Deus teve que se tornar homem. Ele teve que se humilhar. Teve que enfrentar a fúria de satanás, teve que enfrentar o peso do pecado e teve que enfrentar a morte e a justa ira de seu Pai. Deus, porém, entregou o seu Filho para ser pregado numa cruz. Eis o modo como Deus demonstrou o seu grande amor para conosco.

Em quarto lugar, porque amou (Jo 3. 16). O Natal é a grande demonstração do amor de Deus, porque proporcionou uma grande salvação para quem crer. A iniciativa foi do próprio Deus. Nós nascemos debaixo da condenação eterna, mas, o Senhor Jesus pagou nossa dívida.

Você não pode salvar a si mesmo. Você é terminantemente pecador. Como homens pecadores pecamos de modo inveterado. Nós transgredimos a santa lei de Deus. E, por causa disso, a lei clama por justiça. O culpado tem que ser punido. Mas, o homem não tem condições para saldar sua dívida. Sendo assim, Deus providenciou a solução. Deus providenciou o escape na pessoa do seu Filho Eterno.

Todos nós estávamos debaixo da condenação eterna. Mas, Deus fez cair sobre seu Filho todos os nossos pecados. O Senhor Jesus levou sobre si todos os nossos pecados sobre o madeiro. Ele cumpriu a lei em nosso lugar. Portanto, o sacrifício de Jesus foi um grande livramento. Mas é preciso dizer que Deus estabeleceu uma condição básica para que o pecador seja salvo.

A condição é confiar em seu Filho. Ele proporcionou uma grande salvação, mas para recebê-la é preciso crer em Jesus como Senhor e Salvador. É preciso ainda crer em seu sacrifício substitutivo. Ele morreu em nosso lugar. Deus ama tanto o pecador que deu seu único Filho para morrer por causa do nosso pecado. Sendo assim, todo aquele que nele crê é salvo da condenação eterna. Eis a mensagem do verdadeiro Natal, a grande demonstração de amor.

CONCLUSÃO APLICATIVA

Em primeiro lugar, quem sabe já faz muito tempo que você não ouve uma declaração de amor. Hoje, Deus diz a você em alto e bom som, que Ele te ama. Deus te ama com amor sem igual. Seu amor por você é incomparável. Ele te amou com amor incondicional.

Em segundo lugar, o grande amor de Deus não é uma declaração verbal vazia. Ele demonstrou isso de fato e de verdade. Jesus, o Filho Eterno de Deus morreu na cruz por você pecador. Deus provou seu amor lá na cruz quando entregou Seu único Filho.

Em terceiro lugar, o amor de Deus é grande porque é incomparável, imerecido e proporcionou aos pecadores uma grande salvação. Porém, o grande amor exige uma resposta de fé. Portanto, volte-se para Cristo hoje mesmo. Entregue sua vida a Jesus agora. Não adie mais. Receba Jesus Cristo como Salvador e Senhor de sua vida, e, então, você receberá das mãos do Pai celestial o perdão de todos os seus pecados e a vida eterna. Natal: a maior demonstração de amor. Feliz Natal!

Por: Rev. Fabio Henrique de Jesus Caetano.
Pastor da IPGII – DF.

plugins premium WordPress